Se você já é estudante de Cinema e Audiovisual ou está pensando em ser, já sabe que assistir filmes pode ser muito mais do que um simples programa de entretenimento. Nesses casos, os longas passam a fazer parte da sua rotina de estudo e também da vida profissional.

Assistir a uma variedade de filmes diferentes te ajuda a construir um repertório que será muito útil quando você começar a criar suas próprias imagens. E, quando falamos nisso, queremos incluir longas, curtas e média metragens, de diferentes gêneros e estilos.

Já que os filmes são tão importantes assim, que tal conferir uma lista daqueles que você não pode deixar de ver de jeito nenhum? 

1. Um homem com uma câmera, Dziga Vertov

Se você já é estudante de Cinema, é provável que já tenha ouvido falar do filme “um homem com uma câmera”. Ele é indispensável, não somente pela narrativa que conta, mas também por sua estética inovadora.

O longa experimental de Vertov é construído com base nas imagens de um homem que grava cenas da União Soviética na década de 1920. O tom documental influenciou o cinema da época. Mas não foi só isso que marcou o filme.

A câmera bombardeia o espectador com imagens diferentes o tempo todo. Ela funciona como um olho e os significados das cenas são construídos pelo próprio espectador.

Além disso, os cortes do filme dialogam com as rupturas que as imagens mostram. Vertov proporciona uma reflexão sobre a União Soviética, mas também sobre fazer cinema.

2. Um Cão Andaluz , Luis Buñuel

Luis Buñuel se uniu a Salvador Dalí na concepção de “um cão Andaluz”. Como não poderia ser diferente, o resultado foi um dos filmes surrealistas mais importantes do cinema mundial.

O curta, de 1929, quebra padrões e possibilita uma infinidade de interpretações diferentes. Baseado em sonhos de ambos os diretores, a narrativa não é linear. Não existe uma lógica fixa, é o inconsciente que se manifesta.

Cenas completamente nonsense se intercalam: um olho cortado, formigas saindo de uma mão e um casal apaixonado. Tudo isso torna o filme único e obrigatório para quem estuda Cinema e Audiovisual.

3. Cidadão Kane, Orson Welles

Não é a toa que “cidadão Kane” sempre figura nas listas de melhores filmes. O longa, por si só, já pode ser considerado uma aula de cinema.

A história de Charles Foster Kane, personagem baseado em um magnata que controlava a imprensa americana, é contada de uma maneira que confunde o espectador. Isso acontece porque a sua vida é recordada de uma forma não linear.

O repórter Jerry Thompson entrevista diferentes pessoas para tentar descobrir o significado da última palavra dita por Kane antes de morrer. Mas os relatos não cronológicos acabam remetendo aos mesmos eventos, vistos por diferentes ângulos.

Além dessa montagem inovadora, o filme diz muito sobre a produção de notícias e do funcionamento da imprensa americana, o que o torna ainda mais essencial, não somente para estudantes de cinema, mas também aos profissionais de comunicação em geral.

4. Paris, Texas, Wim Wenders

Se existe um diretor que não pode faltar na sua lista é Wim Wenders. Além do roteiro, a fotografia é uma preocupação clara do diretor alemão. Se quiser se aventurar pelas belíssimas imagens do diretor, pode começar pelo longa “Paris, Texas”.

A narrativa é baseada na história de um homem que perdeu a memória e, após quatro anos, é encontrado por seu irmão. O enredo parece simples, mas se torna grandioso diante das imagens do oeste americano, sob o olhar de Wenders.

Planos abertos valorizam as paisagens e uma fotografia que explora contrastes. A imensidão das paisagens também dialoga com o roteiro. No caso de “Paris, Texas”, as cenas do oeste americano não representam a liberdade. Ao contrário: explicitam a falta de indicação de caminhos a seguir.

5. 2001: uma odisseia no espaço, Stanley Kubrick

O sucesso de “2001: uma odisseia no espaço” permitiu que Kubrick continuasse ousando em seus filmes posteriores, como “Laranja Mecânica” e “O Iluminado”. O longa de ficção científica foi lançado em 1968 e partiu de uma parceria do diretor com o escritor Arthur C. Clarke.

Logo no início, o filme já presenteia o espectador com um corte histórico: uma cena que mostra o instinto de um homem ancestral, antes mesmo da chegada dos humanos na terra. Os macacos, em frente a um monólito preto, descobrem que podem utilizar ossos como armas.

Apenas um corte e o filme avança milênios. E lá permanece o monólito.

Esse objeto é, até hoje, motivo de especulação. Não se sabe ao certo o que ele representa, só que ele está sempre presente. E o filme é todo montado dessa forma, para instigar o espectador a buscar novas informações e explicações.

6. Psicose, Alfred Hitchcock

Motivos não faltam para o filme de 1960, baseado no livro do escritor Robert Bloch, ser considerado uma das obras-primas do cinema mundial.

Psicose conta a trágica história de Marion, uma secretária que, após roubar 40 mil dólares, foge para encontrar seu noivo. Porém, no meio do caminho, ela faz uma parada em um motel, administrado pelo perturbado Norman Bates.

A montagem e a direção impecáveis tornam o suspense ainda mais assustador. A trilha sonora marcante e cortes secos fizeram do longa uma referência para o gênero de suspense e terror.

A cena mais famosa (que você já deve conhecer) é a do chuveiro, quando Bates ataca Marion. Esta é uma sequência de 45 segundos com nada menos do que 70 cortes.

7. 8 e 1/2, Federico Fellini

8 e 1/2 é um filme essencial na carreira de Federico Fellini. Este longa foi concebido durante o bloqueio criativo do diretor e se tornou uma de suas principais obras.

Fellini já tinha o dinheiro e o elenco contratado, mas não conseguia escrever o roteiro. Essa situação se tornou o enredo do filme, que mostra um diretor que passa por uma crise criativa.

Federico teve total liberdade para conduzir o longa e isso o tornou único, além de uma referência para qualquer aluno de Cinema e Audiovisual.

A forma como 8 e 1/2 foi dirigido e montado joga com o espectador e o convida a interpretar os momentos do filme de diferentes maneiras.

Quando ele se acostuma com a sequência de planos do filme, é transportado para situações que levam à fantasia e ao imaginário. Além , é claro, de mostrar como o cinema é feito.

Viu como filmes de diferentes gêneros marcaram o cinema mundial? Seja pelo roteiro, montagem, fotografia, trilha sonora ou direção, todas as obras citadas se tornaram referência pela sua originalidade, qualidade e pelo que despertam no espectador.

E, então, gostou da nossa lista de filmes que são indispensáveis para quem estuda Cinema e Audiovisual? Compartilhe com seus amigos nas redes sociais e se reúnam para assisti-los!