Quando falamos em comprar livros de faculdade, a vida dos universitários, que já é difícil, se complica ainda mais. Não bastasse os gastos com transporte, alimentação, cópias e mensalidades, muitas vezes a bibliografia de uma disciplina exige que o aluno tenha que desembolsar mais dinheiro para adquirir esses materiais e conseguir um melhor desempenho no curso.

Arranjar um emprego, trabalhar dobrado (se já tiver um trabalho), pedir uma grana emprestada aos pais e até economizar nas saídas de final de semana. Essas não deixam de ser soluções, mas há maneiras de diminuir as despesas sem tanta dificuldade. Nada que uma boa pesquisa e o apoio de outros estudantes e da própria faculdade não possam ajudar.

Quer saber como isso se relaciona com a economia na compra de livros de faculdade? Confira nas 8 dicas que preparamos!

Procure em sebos

Tendo em mente que livros novos estão cada vez mais caros e que são os objetos para os quais estamos tentando encontrar soluções para economizar, uma saída interessante é procurar por livros antigos ou usados. Os melhores lugares para encontrar os exemplares que você precisa são os sebos, sejam físicos ou virtuais. Além dos ótimos descontos, a partir de 50% em média, há a possibilidade de realizar trocas e de abater no valor do livro adquirido.

Outras vantagens são as formas de pagamento, de frete para todo o Brasil e o extenso acervo dos sebos onlines. As principais opções do mercado já contam com pagamento por cartão de crédito e pagamento via PayPal.

Sobre a quantidade de livros, na Estante Virtual, o número passa de 15 milhões de obras e, no Livronauta, são 4 milhões. Vale dar uma conferida também no Skoob e no Sebo do Messias.

Aproveite cupons de desconto

Agora, se você não abre mão de comprar livros de faculdade novos e de edições mais recentes, o melhor a fazer é caçar descontos. Na internet, existem sites especializados na distribuição de cupons promocionais de graça. São os casos do Cuponomia e do PegaDesconto, que geram economias que variam de 5% a 70% em lojas virtuais como a Saraiva, uma das maiores na venda de livros do Brasil.

Esses sites ainda facilitam sua pesquisa ao mandar os cupons que mais te interessam direto em seu e-mail — isso, claro, após realizar um breve cadastro.

Compre junto com colegas

Se você e seus companheiros de sala de aula não têm problemas em dividir e compartilhar livros entre si, uma oportunidade de economizar é rachando a conta na compra dos exemplares necessários.

Para que o grupo não saia prejudicado, o ideal é definir um número máximo de pessoas envolvidas e um período de uso do livro para cada um. Mais um ou dois alunos são o suficiente para isso — mais que isso, a fila de espera de leitura se tornaria enorme.

Tente e-books em vez de livros físicos

Se você não tem problemas em ler livros, matérias e conteúdos mais extensos no computador, tablet ou smartphone, os e-books são uma boa alternativa para economizar. São livros digitais, geralmente no formato PDF, ePub ou Mobi, e são mais baratos do que as versões impressas.

Inclusive, no mercado existem dispositivos voltados exclusivamente para a leitura de e-books, também conhecidos como e-readers, como o Kindle, da Amazon, o Lev, da Saraiva, e o Kobo, da Livraria Cultura.

Uma outra vantagem dos e-books é a facilidade da leitura em celulares. Assim, você pode ter acesso ao conteúdo por onde você for, seja no shopping, no ônibus, em casa ou em qualquer outro lugar.

Baixe e-books gratuitamente

Além de custarem menos que os livros impressos, os e-books são mais simples de serem encontrados gratuitamente pela internet. Geralmente, são obras no formato ePub e disponibilizados por sites que compartilham o conteúdo sem cobrar nada dos usuários, que permitem a leitura online ou o download das obras. São exemplos o português Le Livros e o portal brasileiro Universia.

Apesar da quantidade de livros nos dois sites citados girarem em torno de 1 a 5 mil, existe uma série de obras didáticas que podem se tornarem necessárias.

Além dessas opções, há a biblioteca digital do governo — o portal Domínio Público — que contém mais de 150 mil obras gratuitas, livres de propriedade intelectual.

Use a biblioteca da faculdade

Além do acervo de livrarias, sebos, sites para download gratuito dos livros e o Domínio Público, uma possibilidade é usar a própria estrutura do campus. Não colocamos a biblioteca como primeira opção pois geralmente a concorrência pelos mesmos livros costuma ser grande. Por isso, a importância de se informar cedo sobre as bibliografias das matérias e garantir a locação das obras antecipadamente.

Atualmente, há muitas faculdades que contam com sua própria biblioteca virtual. A vantagem é justamente poder atender a demanda dos alunos pelos livros difíceis de serem encontrados na biblioteca física. Portanto, não deixe de consultar se a instituição dispõe desse tipo de recurso.

Peça emprestado para seus colegas

Aqui, entra a questão da criação de boas relações durante a faculdade. Na hora do aperto no bolso, é sempre válido consultar amigos, colegas e até mesmo alunos de semestres passados do curso para conseguir os livros que você precisa. Esse último grupo em especial pode ser mais interessante porque eles já passaram pela disciplina que você cursa e podem emprestar as obras sem muitos problemas.

Não se esqueça que tanto no caso da biblioteca física quanto na ajuda de colegas de turma, a responsabilidade pelos cuidados com os livros é maior. Portanto, se você é daqueles que gostam de fazer anotações sobre as páginas, pense duas vezes antes de pegar seu lápis. Manter uma boa relação com outros alunos e com a administração da biblioteca é muito importante, pois você pode vir a precisar deles em futuras ocasiões.

Tire cópias dos principais trechos

É o famoso tirar xerox dos livros — prática muito comum entre os universitários. Contudo, fazer cópias, dependendo do tamanho e da quantidade de obras, pode sair caro também. Nesse caso, procure saber junto aos professores quais os capítulos dos livros que merecem maior atenção, assim, você pode evitar de sair gastando mais do que o necessário.

Agora, se você não quiser gastar com xerox e tiver um scanner em casa, aí a alternativa é digitalizar parte do livro e ficar com a obra salva em seu computador.

Nessas horas, toda ajuda é válida para economizar nas despesas com a faculdade. O custo-benefício para conseguir os livros por meio dessas práticas é compensador, basta pesquisar a fundo, comparar preços, buscar descontos, adquirir o hábito de ler e-books e contar com a ajuda de colegas e com a estrutura da própria instituição de ensino.

E você? Já economizou na compra de livros de faculdade usando alguma dessas dicas? Tem mais alguma sugestão para compartilhar com os outros leitores do blog? Aproveite e conta pra gente o que você achou das nossas ideias nos comentários.