Prestar atenção nas aulas, participar delas e ainda ter que escrever de forma clara os principais conceitos passados pelos professores é uma tarefa difícil. Todo cuidado é necessário para manter o caderno organizado e para facilitar os estudos posteriores para provas e trabalhos. Por isso que fazer anotações em uma aula na faculdade pode ser considerado uma arte, porém acessível a todos que conseguirem se preparar para essa tarefa.

Sendo assim, neste artigo, elaboramos 8 dicas para organizar suas anotações durante as aulas, palestras ou qualquer outro compromisso acadêmico.

Separe os registros por matérias

Se você usa um caderno ou fichário, provavelmente ele deve vir dividido internamente por matérias. Logo, assim como foi durante o ensino fundamental e médio, você deve aproveitar essa separação para colocar cada disciplina em seu devido lugar. O mais recomendável é ordená-las pelos dias da semana — primeiro as matérias de segunda e terça-feira e, por último, as de quinta e sexta-feira.

Essa organização por dias da semana facilita a localização das matérias quando tiver que fazer uma busca. Caso prefira, também pode colar adesivos de diferentes cores para sinalizar a posição de cada disciplina no caderno. Contudo, de modo algum, escreva os conteúdos de diferentes disciplinas em uma mesma matéria, a não ser que faltem folhas ou que seja uma ocasião urgente.

Comece as anotações do dia em folhas diferentes

Pense naquele seu colega de classe que faltou a uma aula e um mês depois pede seu caderno emprestado para anotar o que foi perdido. Você então começa uma busca árdua e implacável para localizar onde estava aquele conteúdo, mas está tudo embolado, com diferentes dias de aulas seguidas na mesma folha. Missão complicada, não é mesmo? Bem, essa pesquisa pode ser um pouco mais simples.

Basta começar cada novo dia de aula na folha seguinte. Se o seu caderno vem com aqueles marcadores de data no canto superior da folha, melhor ainda. Mesmo que você escreva pouco, deixe a próxima aula para a página seguinte. Seu caderno fica mais limpo, com anotações menos misturadas e mais acessíveis.

Inicie as notas pelo tema da aula

Além da data, é importante que cada aula seja identificada por um tema, assunto ou título. Geralmente, o professor fala, escreve no quadro ou coloca nos slides, mas, se for preciso, não pense duas vezes antes de perguntar.

Além de ajudar a localizar as anotações, colocar o tema simplifica os estudos. Muitas vezes, o professor pede para estudar até o assunto X, logo, se você começou a escrever pelo tema, saberá exatamente o contexto da matéria e até onde precisará estudar.

Não escreva tudo o que o professor fala

Tem alunos tão dedicados, ou preocupados até demais, com as matérias que tentam anotar tudo que é falado pelos professores em sala de aula. A não ser que você seja diferenciado e consiga entender a matéria, ouvir tudo que o educador fala e transcrever para o caderno, pode ignorar essa dica. Mas, caso você seja mais normal quanto a isso, vale seguir essa orientação.

O importante é prestar atenção nos pontos principais, como conceitos, fórmulas e contextualizações. Parar para escrever enquanto o professor fala, além de poder incomodá-lo, pode fazer com que você perca uma explicação importante, deixe de entender a matéria no momento e se perca em meio à aula. Portanto, se for para anotar algo, prefira as ocasiões em que o professor não esteja explicando a matéria ou após as aulas.

Anote as dicas dos professores

Essa dica está diretamente ligada à anterior. Normalmente, o conteúdo passado em aula na faculdade segue uma bibliografia que pode ser encontrada em livros ou mesmo transcrita pelos professores no quadro ou em slides. Fazer anotações a partir desses materiais é uma prática boa, mas não devem ser suas únicas fontes.

Os professores não se prendem aos materiais didáticos e podem usar suas experiências e conhecimentos para fazer analogias, dar orientações e facilitar o entendimento da matéria. Logo, sempre que o professor der alguma dica e chamar a atenção da turma para isso, escreva, pois, muitas vezes, a compreensão de um conceito pode vir mais pela forma como é explicada pelo educador do que pelas palavras de livros, artigos, slides etc.

Estruture as anotações por tópicos

O objetivo dessa dica é facilitar a revisão, a leitura e a compreensão das suas anotações. Não só tópicos para separar listas de itens são úteis, mas também o uso de intertítulos para quebrar o texto em várias seções (como nesse artigo), além de sublinhar palavras, utilizar setas, numerações, e outras figuras que ajudam você a entender e a organizar melhor a sua escrita.

Vamos tomar como exemplo alguns dos cursos de graduação oferecidos pela Unimonte. De qual forma você acha que a leitura iria fluir mais?

Opção A: Administração, Arquitetura e Urbanismo, Cinema e Audiovisual, Direito, Enfermagem, Engenharia Ambiental, Engenharia Mecânica e Publicidade e Propaganda.

Opção B:

  • Administração;

  • Arquitetura e Urbanismo;

  • Cinema e Audiovisual;

  • Direito;

  • Enfermagem;

  • Engenharia Ambiental;

  • Engenharia Mecânica;

  • Publicidade e Propaganda;

Provavelmente, você deve ter pensado na opção B. Portanto, use e abuse dos tópicos, até para anotar pequenos conceitos, palavras-chaves, dicas, orientações, eventos etc.

Grave as aulas para escrever posteriormente

Antes falamos mais nos métodos mais tradicionais para facilitar as anotações. Agora, é o momento de usar a tecnologia a nosso favor. Essa técnica é antiga, porém ainda muito usada e eficiente. Com tantos dispositivos, como gravadores, celulares e câmeras, guardar as aulas para além da faculdade é uma alternativa interessante.

Porém, é preciso ter cuidado, pois nem todos os professores permitem a filmagem das aulas e muito menos sua divulgação na internet. A gravação apenas do áudio costuma ser mais bem aceita pelos educadores.

Com essa prática, você pode se dedicar mais tranquilamente ao conteúdo que está sendo explicado na hora, tomar nota em seu caderno das coisas mais importantes e fazer as anotações completas em seu tempo livre, podendo escutar novamente o que foi passado.

Use celulares, tablets e notebooks para fazer anotações

Além de gravar, você pode fazer todo o processo de escrita das matérias para o seu smartphone ou notebook. No caso de celulares, digitar pode não ser tão simples quanto em um note com um teclado mais espaçoso, porém é bastante útil para fazer anotações rápidas e importantes.

Já em notebooks, é importante manter uma organização quanto a nomeação e o armazenamento dos arquivos. Assim como no caderno, os arquivos no computador devem ser salvos, de preferência, com a data e o tema da aula. Por fim, não se esqueça de criar uma pasta para cada disciplina.

São ideias simples, mas que ajudam a organizar sua rotina de estudos durante a faculdade. O objetivo dessas orientações é fazer com que você consiga manter seu caderno mais limpo, com anotações importantes, ideias mais estruturadas, simples de serem localizadas e de fácil leitura. A tecnologia, por meio de celulares, câmeras, gravadores, tablets, notebooks e computadores podem substituir o trabalho manual ou atuar em conjunto para realizar essas tarefas.

E você, já exercitava alguma dessas dicas? Pensa que agora vai ser mais simples de fazer anotações durante a aula na faculdade? Participe nos comentários e deixe também as suas ideias.