O “boom” da tecnologia, com a televisão, computadores e smartphones, acabou deixando os livros de papel em segundo plano. Mas, em terras — e tempos — de internet, quem ainda cultiva o hábito da leitura é rei.

Isso também é válido para os estudantes. Afinal, a universidade é marcada por uma série de leituras obrigatórias e complexas em sua grade curricular, mesmo em um curso fora da área das Ciências Humanas. Por isso, quanto mais cedo o estudante inserir o hábito da leitura em sua rotina, mais fácil será se dar bem na graduação.

Quer entender melhor sobre a importância desse hábito e como adquiri-lo? Então acompanhe este texto!

Por que o hábito da leitura é importante?

Ler ajuda a desenvolver a imaginação, potencializa a interpretação de fatos, estimula a memória e o raciocínio, desenvolve a capacidade de argumentação e fundamenta o saber. Leitores ávidos são os maiores críticos do mundo em que vivem e se tornam preparados para enfrentar e se posicionar diante de qualquer situação.

Para quem está estudando e se preparando para a graduação, o hábito da leitura é um excelente diferencial diante da concorrência dos vestibulares. Afinal, quem lê com frequência também é capaz de fazer uma excelente redação, que tem um peso alto nas provas.

Até mesmo Bill Gates, criador de uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, a Microsoft, acredita no poder dos livros como a melhor forma de adquirir conhecimento. Em uma das suas frases mais famosas, ele reconhece que: “sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever — inclusive a sua própria história.”:

Como criar o hábito da leitura?

Ler desde a infância é uma das maneiras mais eficazes de se desenvolver o hábito da leitura. Além de terem, uma capacidade de aprendizado mais aguçada, as crianças são uma “porta aberta” para as informações, conhecimento e atitudes que definirão o seu futuro.

Pessoas que descobrem o mundo dos livros ainda pequenas potencializam sua concentração, melhoram o desempenho escolar, desenvolvem a sua imaginação e criatividade, se comunicam com mais clareza e crescem mais seguras e preparadas para o mundo.

E isso pode influenciar, inclusive, na sua atuação profissional e remuneração. Nos Estados Unidos, um estudo revelado pela Fundação Nacional de Leitura Infantil mostrou que crianças de 0 a 5 anos que entram em contato com a leitura podem aumentar a sua renda anual em até 50 mil dólares no futuro.

Adultos que têm baixa capacidade de concentração e vocabulário mais limitado, que escrevem mal ou não conseguem compreender conteúdos ou questões do dia a dia, geralmente não foram estimulados em casa ou na escola a desenvolverem o hábito de ler.

Mas para quem cresceu com pouco contato com os livros ou possui uma rotina muito atribulada, se torna difícil inserir o hábito de ler no dia a dia. Ainda assim, dá tempo de compensar o prejuízo, mesmo se você estiver entrando na vida adulta.

Confira 5 práticas que podem tornar o hábito da leitura uma parte prazerosa da sua vida daqui para frente:

Encontre leituras mais agradáveis

A leitura pode ser feita com três objetivos: adquirir informação, estudar ou apenas por prazer. Geralmente, quem não gosta de ler se foca apenas no aspecto monótono do estudo e se esquece de ver também o lado prazeroso dos livros.

Os caminhos para desenvolver o hábito da leitura são diversos. Uma leitura eficaz não precisa se relacionar apenas aos livros clássicos, científicos ou históricos. Materiais com temas e uma narrativa menos formal podem ser fontes de conhecimento tão eficazes quanto uma leitura técnica.

O Guia do Mochileiro das Galáxias, por exemplo, pode trazer informações tão relevantes quanto um livro de astrofísica. Depende da forma com que o leitor as interpreta e como ele as usará em sua vida.

Leia para descansar a mente

Para os vestibulandos, a leitura deve ser um hábito diário. Não apenas dos conteúdos abordados nas provas, mas também de jornais e revistas, principais veículos de informações sobre temas da atualidade, que aparecem nas questões objetivas e na redação.

Mas também é preciso investir na leitura para “descanso”, que ajuda a se desligar um pouco da enorme quantidade de tantos textos e artigos científicos. Por isso, também é essencial incluir em sua rotina temas mais agradáveis.

Revistas de moda ou esportes, artigos em blogs, charges, crônicas, gibis ou livros de sci-fi (ficção científica) proporcionam prazer e trazem uma linguagem mais descontraída sobre os fatos, o que se configura em momento prazeroso e de relaxamento para o cérebro.

Reserve um horário específico para ler

Nos 30 minutos antes de dormir, em vez de conferir todas as redes sociais, leia um livro. Além de ajudar a ter um sono mais tranquilo, ler nesse horário é ideal para melhorar a fixação de conteúdos e memorização durante o sono.

Reservar horários determinados para ler também ajuda a tornar o hábito da leitura algo mais natural e agradável!

Carregue sempre um livro consigo

No dia a dia, carregar um livro na mochila ou uma versão digital salva no celular ou tablet também é uma forma de estimular o hábito da leitura, principalmente no transporte público, no caminho para o trabalho, na espera por atendimento médico ou no intervalo entre as aulas.

Esses momentos são ideais para avançar na leitura de um livro e ajudar a passar o tempo mais rapidamente.

Trate a leitura como uma meta diária

Para a maioria das pessoas, o início do ano é o momento ideal para criar uma lista de metas como passar no vestibular, perder peso ou se tornar mais produtivo. Tratar a leitura como parte desse conjunto de metas e uma “obrigação” diária também é uma maneira efetiva de estimular a si mesmo a ler mais.

Mas não é preciso tornar esse momento algo chato. Até mesmo a internet e as páginas nas redes sociais podem ser uma fonte valiosa de leitura. Só é preciso filtrar as informações recebidas, já que nem tudo o que é compartilhado online tem garantia de veracidade.

E você, cultiva o hábito da leitura no seu dia a dia? Então não deixe de conferir também as nossas dicas para potencializar o seu aprendizado e aprender como se preparar para estudar sozinho para o vestibular!