Se entre suas metas para a maioridade está sair da casa dos pais, pense que planejamento e realização andam de mãos dadas. Assim, mesmo com muita vontade de conquistar sua independência, esqueça a impulsividade. Considere que uma atitude tão importante exige estratégia, além de preparo para enfrentar mudanças no padrão de vida. Ter consciência disso é fundamental: senão, o sonho pode virar pesadelo.

Leia o que vem a seguir, e descubra passos essenciais rumo a essa experiência!

Elimine as dívidas atuais

Para sair da casa dos pais, e tomar nas mãos a direção da própria vida, é obrigatório deixar as finanças em ordem. Afinal, como arcar com novas despesas, se você ainda está amarrado às antigas? Com a renda comprometida fica muito difícil – para não dizer impossível – ser independente.

Portanto, sua primeira ação deve ser realizada no âmbito financeiro. Desse modo, reúna todas as pendências, calcule em quanto elas estão e trace um plano para quitar o total. Não deixe nada de fora: cartão de crédito, conta de celular, empréstimos e o que mais estiver atrasado deve ser pago antes da grande mudança.

Veja também se não há nenhuma anotação em seu nome junto aos órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa. Pois, se houver, será um impeditivo para futuros créditos, e na hora de alugar um imóvel.

Caso verifique estar com esse tipo de problema, a solução é descobrir quem são os seus credores e negociar com eles uma forma de pagamento.

Vale ressaltar que, desde a primeira parcela paga de cada dívida, o seu nome sairá dos bancos de dados das instituições que o incluíram na lista de inadimplentes.

Mas, mesmo assim, é recomendável adiar o plano de se mudar, até efetuar todos os pagamentos. Caso contrário, são grandes as chances de você acabar em sérias dificuldades econômicas.

Não faça novas dívidas

Além de pagar os antigos débitos, fuja de contrair novas dívidas. Sair da casa dos pais significa muitos gastos, e para fazer frente a eles é indispensável ter renda disponível. Por isso, não se deixe levar pelo hábito de consumir: antes de qualquer compra, pense se ela é mesmo necessária.

E, descubra nossas 10 dicas de economia indispensáveis para estudantes! Elas serão muito úteis a você, nessa hora de transição!

Busque renda complementar

Trabalhar e estudar não é fácil, mas quando se tem um plano a executar, arranjar um tempinho e colocar mais renda no mês pode ser crucial. Há diversas atividades que rendem um dinheiro extra: procure perceber se alguma está de acordo com a sua disponibilidade de tempo.

Elencamos abaixo algumas dicas de trabalhos para fazer aos finais de semana, feriados e madrugadas. As duas primeiras você pode realizar a distância!

  1. Produzir e revisar textos
  2. Normatizar trabalhos acadêmicos
  3. Cuidar de crianças ou idosos
  4. Tratar de animais na ausência dos donos
  5. Levar cães para passear
  6. Atuar em buffets que contratem pessoal extra para executar tarefas na cozinha, copa e salão.

Estabeleça um tipo de moradia

É fundamental escolher a moradia mais adequada à sua capacidade financeira, para não entrar em apertos. Entre as possibilidades para quem vai tentar a vida sozinho, estão:

  • Alugar apartamento ou casa;
  • Morar em uma república estudantil; 
  • Alugar um quarto; 
  • Dividir dormitório em pensionato. 

O mais importante, aqui, é decidir por um tipo de habitação que você realmente seja capaz de pagar. Considere, ainda, que o imóvel ideal é próximo à faculdade e ao trabalho. Pois morar a uma distância razoável dos lugares cotidianos facilita tudo: diminui as despesas com transporte e a ocorrência de atrasos.

Preveja seus futuros gastos

Estar por conta própria representa arcar, além da moradia, com alimentação e despesas variáveis, portanto, se você não tem noção do quanto isso custa, vai ter que se informar. Então, pergunte a seus pais e amigos que já moram sozinhos o gasto médio que eles têm. Esse valor pode servir de base na hora de preparar seu próprio orçamento.

Que deve conter:

  • Despesas fixas – alimentação, faculdade, conta de telefone, luz e outras mensais;
  • Despesas variáveis – transporte, roupas, lazer e demais que mudam de acordo com as necessidades de consumo;
  • Despesas eventuais – medicamentos, viagens, relacionadas a reparos no novo lar, etc.

Comece a juntar recursos

O ideal, antes de começar sua emancipação, é formar uma reserva financeira. É com essa reserva que você vai pagar as despesas iniciais da nova vida, que serão muitas. Principalmente as ligadas à moradia: se você não tem fiador e vai alugar um espaço, terá de possuir o valor do depósito-caução (ou do seguro-fiança) da locação.

Se a escolha for por morar em uma residência que se dispõe a locar quartos ou vagas, ou viver em uma república, será preciso pagar o primeiro aluguel antecipado. E isso é só a ponta do iceberg: dependendo do lar que você escolher, demandará mobília. Ao menos a básica, que é:

  • Fogão
  • Geladeira
  • Cama
  • Armário

Determine uma data para a mudança

Ter uma meta bem definida ajuda – e muito! – na execução dos planos, pois os torna mais palpáveis. Use esse recurso a seu favor: faça os cálculos de quanto tempo vai levar até ajeitar as coisas e estar em condições de mudar. 

Depois dessa conta, você terá uma previsão realista sobre a data provável na qual atingirá sua meta.

Marque esse dia em sua agenda, e não o perca de vista. Ter um ponto de chegada bem estabelecido ajuda a percorrer qualquer trajeto com mais ânimo. Firme o compromisso de cumprir todas as etapas necessárias a sair da casa dos pais até a data estipulada, e leve a sério essa promessa.

Faça boas escolhas

Cada fase da preparação para a independência é uma prova de maturidade, e de que você está apto a fazer as próprias escolhas. Portanto, para transmitir mais segurança a seus pais – que a essa altura estão atentos a cada atitude sua –, e firmar uma postura adulta, faça sempre as melhores escolhas.

Opte por pesquisar muito antes de fechar qualquer negócio, pese os prós e contras de cada situação antes de tomar decisões, e, principalmente, faça as coisas com calma. Precipitação quase sempre acaba em arrependimento. Veja que Roma não foi erguida em um dia só, assim, invista em construir sua liberdade e autonomia gradativamente.

A última dica deixada aqui é que você jamais deixe de estudar. Sejam lá quais forem as dificuldades, não sacrifique seu futuro: continue os estudos. Mesmo com os desafios que surgirão após sair da casa dos pais, encare a faculdade como prioridade. Afinal, é a sua formação que garantirá total conquista de seus projetos para um amanhã de sucesso!

Gostou do artigo? Então siga-nos nas redes sociais e fique por dentro de mais conteúdos exclusivos!