A escolha do curso de graduação costuma ser uma etapa tão importante e tão difícil quanto o próprio vestibular. Dúvidas como: “será que estou pronto para escolher uma profissão agora?”, “e se eu me arrepender antes mesmo do fim do primeiro semestre?”, “como estará o mercado de trabalho para a minha área até a minha formatura?” são apenas algumas das incertezas que rodeiam esse momento. O estudante começa a se questionar sobre a sua própria capacidade em tomar a decisão que influenciará toda a sua vida.

Fazer a escolha certa pode ser mais fácil do que se imagina, se feita livre de pressões externas como idade, exigências dos pais ou familiares, questões de gênero — que, muitas vezes, delimitam o que são profissões masculinas ou femininas — e, até mesmo, das expectativas sociais.

Você precisa ter tranquilidade para agir com sabedoria. Mesmo que todos os seus amigos já estejam na faculdade, se você ainda não se sente pronto, acha que precisa adquirir alguma experiência profissional ou pensa em se organizar financeiramente antes de realizar o seu sonho, não precisa ter pressa!

Como em um jogo de xadrez, você deve analisar calmamente todas as possibilidades e criar as melhores estratégias para conseguir a vitória, que, nesse caso, é a escolha do curso que fará parte da sua vida para sempre.

Por exemplo: você se dá melhor com pessoas ou com números? Comece analisando os cursos de graduação que se encaixam em uma dessas áreas. Em seguida, liste quais são os pontos positivos e negativos de cada uma.

Essa estratégia de redução te fará chegar a algumas opções e é ai que começa a parte mais importante para a sua decisão: conhecer a si mesmo. Um bom exercício de autoconhecimento é começar respondendo às seguintes perguntas: “como você se imagina daqui 10 anos e como a sua profissão estará ligada a essa expectativa para o futuro?” e “para você, é mais importante ganhar dinheiro ou fazer o que ama, mesmo que o mercado de trabalho não seja tão favorável à sua profissão?”.

Essas são apenas algumas dicas que podem te ajudar a traçar melhor um panorama profissional. Se você está em dúvida sobre qual caminho seguir, no post a seguir em que te apresentaremos a importância da formação superior e listaremos dicas essenciais que te ajudarão a escolher o melhor curso de graduação. Confira!

Por que se formar em uma graduação é importante?

É muito comum que estudantes se questionem sobre a real importância de se formar em um curso de graduação para a sua jornada profissional. Para quem já possui um emprego, é ainda mais difícil conciliar essa rotina e o tempo que os estudos demandam.

O mais importante para pessoas que estão nesse dilema é entender que o conhecimento é um fator diferencial e de destaque para empresas e empregadores. Mesmo que o seu plano seja formar o seu próprio empreendimento, você ainda precisará do aprendizado técnico e das melhores estratégias para crescer na sua área de escolha.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), já foram mais de 7 milhões de estudantes matriculados em universidades públicas e privadas em todo o país no ano de 2013.

Com essa democratização do ensino superior no Brasil na última década, o mercado de trabalho está começando a enxergar a graduação não mais como um grande diferencial — fenômeno que aconteceu com boa parte da geração anterior — e, sim, como uma qualificação básica e essencial para qualquer profissional.

Na universidade, o estudante poderá fazer contatos e networking para conseguir oportunidades profissionais no futuro. E o mais importante: nesse espaço, ele irá adquirir um aprendizado, seja por meio do ensino, seja pela convivência com pessoas de realidades e visões distintas.

Essa experiência o transformará não apenas em um profissional apto para atuar em sua área e melhorar de vida, como também em um agente de transformação social, capaz de inspirar outras pessoas e propor melhorias para o mundo em que vivemos.

Conheça os principais tipos de graduação

Antes de escolher o seu curso de graduação é preciso definir quais são os seus objetivos enquanto estudante e futuro profissional. Os tipos de formação superior mais comuns são bacharelado, licenciatura, tecnológica, sequencial e modulada.

Cada uma passa por um processo seletivo específico, com competências profissionais e tempo de duração distintos. Por isso, é importante entender cada uma dessas modalidades para decidir a mais adequada para você.

Bacharelado

Essa modalidade é a mais tradicional e abrangente dentre os tipos de graduação, oferecendo uma variedade de assuntos teóricos e uma formação prática direcionada ao mercado de trabalho.

Após sua duração mínima de 4 anos, o estudante se torna capacitado para atuar em áreas distintas da sua profissão. Para os que desejam um aprendizado mais específico, devem recorrer a uma especialização ou pós-graduação strictu sensu (mestrado ou doutorado). Após a formatura, o estudante recebe o título de bacharel.

Licenciatura

A principal diferença da licenciatura para o bacharelado é a sua formação voltada para o ensino. Com duração mínima de 3 anos, esse modalidade dá ao estudante o título de professor de nível fundamental e médio.

A principal exigências dessa modalidade é uma carga horária de 300 horas de estágio em escolas públicas ou privadas. Estudantes que desejam se atualizar ou se especializar podem escolher licenciaturas em áreas específicas ou em idiomas. Após a foratura, é possível ainda cursar uma pós-graduação.

Tecnológico

Essa modalidade possui uma duração média de 2 a 3 anos. É voltada para pessoas que desejam aprender o caráter mais técnico e prático de uma profissão e que procuram se especializar em determinada área em um tempo menor.

O aluno deve cumprir a carga horária do seu curso de escolha e um estágio supervisionado, que o prepara diretamente para atuar no mercado de trabalho em uma determinada função.

O principal diferencial dessa graduação para o bacharelado e para a licenciatura é que o estudante não terá uma abordagem tão ampla dos temas e desenvolverá competências mais específicas.

Segundo o Ministério da Educação (MEC), o Brasil possui 13 eixos tecnológicos distintos, em áreas como segurança, gestão, infraestrutura, saúde e hospitalidade.

Sequencial

Assim como a modalidade tecnológica, cursos sequenciais oferecem uma formação rápida na preparação do estudante para o mercado de trabalho. Seus cursos duram 2 anos e conferem um diploma de nível superior ao estudante, mas não valem como uma graduação. Ou seja, não é permitido que o formando curse um mestrado ou doutorado.

É uma modalidade para quem deseja se especializar e que se divide em dois tipos:

Complementação de estudos

Voltada para quem já tem uma formação profissional e deseja se aprofundar em uma determinada área dessa profissão. Ao final, o estudante recebe um certificado de conclusão de curso.

Formação específica

Para estudantes que estão saindo do ensino médio e desejam uma formação rápida para ingressar no mercado de trabalho. Não tem o valor de um bacharelado ou licenciatura, mas é uma boa opção para jovens que desejam se preparar para uma profissão.

Modulada

A graduação modulada, como o nome sugere, é cursada por módulos ou por etapas. Essa modalidade, se feita sozinha, confere ao estudante um diploma de nível superior e a possibilidade de atuar no mercado de trabalho, mas não permite que ele curse mestrado ou doutorado, por exemplo.

Seu foco são pessoas que desejam atuar mais rapidamente no mercado de trabalho ou que querem complementar a formação sequencial e adquirir o título de bacharel. Por exemplo, se você fez um curso sequencial durante dois anos, pode aproveitar esses créditos para complementar o tempo de duração de um bacharelado.

Cada universidade possui uma lista indicando quais os cursos de graduação modulada são compatíveis com os sequenciais.

5 dicas para escolher o melhor curso de graduação para você

Os cursos de graduação já são uma exigência básica de um mercado de trabalho cada vez mais competitivo. As facilidades de pagamento e de ingresso, por meio do vestibular ou do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), aumentaram as possibilidades para pessoas de todo o Brasil, independente da faixa etária ou da classe social.

Atualmente, de acordo com o Ministério da Educação (MEC) existem mais de 200 modalidades diferentes, espalhados por todo o país. Diante dessa vastidão de possibilidades, o futuro graduando começa a se questionar “qual a melhor opção para mim?”.

Para te ajudar, reunimos 5 dicas básicas para escolher o curso ideal para a sua graduação.

1. Descubra a sua vocação

A faculdade é capaz de preparar, na teoria e na prática, o estudante para uma profissão. No entanto, sem a sua afinidade ou a motivação com o que vier a fazer, será difícil construir uma carreira sólida. Mas o que realmente significa essa tal vocação que tanto se fala e como descobrir qual a sua?

Vocação é a sua competência, o que te estimula, para realizar determinadas ações ou atividades. O primeiro passo para descobri-la é entender que você não precisa ser um expert ou um talento nato em algo, mas só o fato de gostar e se sentir motivado a aprender mais sobre qualquer área já é o suficiente para te impulsionar a ser bem-sucedido nela.

Um dos principais problemas de estudantes nas universidades é descobrir, após algum tempo, que não estão fazendo o que realmente desejam, se tornando profissionais e pessoas frustradas tanto durante os anos da graduação, quanto após a formatura.

Analise as suas habilidades, suas qualidades, o que te dá prazer em realizar. Por exemplo: se possui um perfil mais comunicativo, se é bom em cuidar de pessoas ou animais, se gosta de ouvir e defender causas.

Depois, estude quais as profissões se relacionam melhor com elas. Você pode recorrer a testes vocacionais, mas o essencial é conhecer a si mesmo. Se ao escolher o curso você estiver livre de exigências externas, como expectativas familiares e ganhos materiais, e prestar atenção no que gosta e no que te motiva a ser melhor, vai ser muito difícil se arrepender no meio do caminho ou não alcançar o sucesso que deseja.

2. Pesquise sobre as instituições de ensino

Nem sempre uma profissão que se encaixa com a sua vocação possui atividades e uma rotina que irão te agradar. Por isso, é essencial pesquisar a grade curricular do curso e analisar se aquilo é o que você realmente deseja, já que serão, pelo menos, 4 anos de estudos e de contato com estas matérias.

A internet é uma boa aliada para que estudantes pesquisem e tirem suas dúvidas sobre a universidade, sua credibilidade e a avaliação do Ministério da Educação (MEC) sobre o curso que desejam ingressar.

Antes de se inscrever para o vestibular, visite feiras estudantis e, se for possível, participe como ouvinte de uma aula em alguma faculdade. Essa é uma maneira prática de descobrir se determinado curso ou uma área específica de conhecimento é a qual você, realmente, deseja seguir.

3. Converse com profissionais da área

Pessoas que já trabalham na área que você deseja atuar são a maior fonte de informações sobre o curso e sobre a realidade do mercado de trabalho. Esse diálogo é importante também para conhecer as atividades, a rotina de trabalho, as possibilidades de atuações e para entender um pouco melhor o percurso que você fará durante a sua graduação.

Conversando com mais de uma pessoa que já atua na área é possível desfazer possíveis mitos, resolver dúvidas e desmistificar ilusões e traçar caminhos ainda inexplorados.

Questione quais foram os percalços delas para chegar até a sua posição atual, os aspectos positivos da profissão e, também, os pontos negativos, para tomar a sua decisão.

4. Analise o mercado de trabalho

Analisar o mercado de trabalho da sua área de interesse é uma boa maneira de traçar perspectivas para o futuro profissional. Comece consultando cadernos de economia e trabalho nos jornais e revistas, observe em sites de emprego a quantidade ou a frequência de vagas oferecidas e ouça os relatos de quem já está atuando.

Pesquise desde as possibilidades pós-formação, como também os estágios e a remuneração mínima da área. Se a sua intenção não é atuar na sua cidade atual, inclua na sua análise outras cidades e, até mesmo, outros estados.

Mesmo que a remuneração média não seja um aspecto fundamental para a sua escolha, essa análise é importante para evitar expectativas exageradas e para te ajudar a descobrir as principais tendências que você pode seguir e não ingressar em uma profissão que já está saturada de profissionais.

É importante ter uma visão realista e não condicionar o seu futuro a uma área que te trará pouco ou nenhum retorno do investimento financeiro e de tempo durante a graduação.

5. Defina as suas metas para o futuro

Mesmo sendo um período cheio de dúvidas e de incertezas, antes da escolha do seu curso de graduação, tente ser sincero consigo mesmo e idealize uma imagem de como você gostaria de estar daqui 10 anos.

Ter estabilidade financeira? Viver uma vida cheia de aventuras e viagens? Ser um CEO na sua área? Um defensor dos direitos humanos? Ou um professor universitário?

Faça uma lista ou um plano mental com todas as suas metas e, enfim, faça a pergunta decisiva para si mesmo: “em que profissão posso traçar um caminho mais promissor para alcançar os meus objetivos?”.

O mais importante é ficar tranquilo e lembrar que escolher um curso não é uma decisão definitiva. Ao longo dos anos, os planos e os sonhos podem mudar e nunca é tarde para encarar novos desafios e buscar o que te faz feliz.

Conheça algumas formações acadêmicas que você pode seguir

O Brasil conta atualmente com mais de 30 mil cursos de graduação espalhados por todos os estados. Isso é um ponto positivo para a educação e para o acesso de milhares de estudantes à formação superior, já que essa variedade oferece possibilidades maiores de encontrar uma área profissional que traga sucesso e satisfação.

Administração

Muito mais do que preparar pessoas para administrar pequenas e grandes empresas, o curso conta com uma grade curricular ampla, que traz temas como direito empresarial e comportamento organizacional. São formados profissionais aptos a criar e gerir projetos, transformar estratégias em ações competitivas e se tornarem líderes, com atuação em bancos, comércio, indústria, startups ou consultorias.

Arquitetura e Urbanismo

O curso de Arquitetura e Urbanismo, com duração média de 5 anos, capacita estudantes, de maneira teórica e prática, a fazer projeções de estruturas urbanas, de acordo com as principais tendências estéticas, funcionais, tecnológicas e, principalmente, socioambientais. Ressaltando sempre a importância da prática ética e da responsabilidade social da profissão.

Biomedicina

A profissão é uma das mais recentes na área de saúde, mas já contribuiu diretamente em pesquisas e em diagnósticos de patologias que comprometem a vida humana e desafiam a ciência.

Durante os 4 anos de formação, o estudante é capacitado para atuar em órgãos públicos e privados, como hospitais e laboratórios, além de centros de pesquisas.

Design

O curso oferece amplas oportunidades profissionais na configuração estética e na criação dos mais diversos tipos de projetos e produtos artísticos, empresariais ou gráficos.

Após a formação, o profissional de Design estará capacitado para atuar em espaços como agências, revistas, editoras, setores de comunicação, ambientes corporativos, ateliês de moda, empresas públicas e privadas e diversas outras áreas.

Direito

O estudante de Direito se dedicará durante uma média de 5 a 6 anos para atuar nas atividades cabíveis ao profissional da área e entender as normas jurídicas, os autos de processos, procedimentos jurídicos, os documentos e o funcionamento de audiências das mais diversas áreas.

Além de interpretar e criar estratégias sobre fatos, desenvolver a comunicação e poder de argumentação com clientes, juízes, promotores e jurados, para se preparar para o Exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

A Unimonte oferece a disciplina Prática Real para atuação de estudantes em situações reais e obtenção de carga horária para estágios, além de ter curso avaliado com nota 4 pelo MEC e 3, das 5, estrelas do Guia do Estudantes Abril, em 2015.

Enfermagem

O profissional de Enfermagem é um dos mais requisitados na área de saúde, pelo seu contato direto com pacientes em situações graves, oferecendo suporte, assistência física e psicológica.

Além disso, ele é o responsável pela supervisão diária de pessoas em hospitais, clínicas, laboratórios ou no tratamento privado. Durante a graduação esses futuros profissionais são preparados para lidar e para tratar, de maneira ética e humanizada, os seus pacientes.

Engenharias

A Engenharia é uma das áreas mais aquecidas do mercado de trabalho, com modalidades como Civil, Mecânica, Petróleo, Química, Produção e Ambiental.

Cada uma delas possui grades curriculares e funções gerais e específicas a cada uma das áreas. A graduação deve oferecer um corpo docente e laboratórios de última geração para a prática de conceitos aprendidos em sala de aula e exigidos pelo mercado de trabalho.

Durante o período médio de 5 anos, os estudantes são capacitados a desenvolver estratégias em prol do desenvolvimento, em consonância com a preservação ambiental e a responsabilidade social.

Farmácia

Com uma grade curricular que acompanha as principais inovações e exigências do mercado, o curso de Farmácia é voltado para estudantes que desejam atuar na produção e na distribuição de medicamentos, na avaliação e no combate às doenças, na manipulação alopática e homeopática e no controle de cosméticos e remédios.

Sua área de atuação é ampla: indústria da beleza, biotecnologia, drogarias, vigilância sanitária ou, até mesmo, em instituições de pesquisa e inovação privadas ou governamentais.

Jornalismo

O mercado de Jornalismo vem acompanhado as mudanças sociais e tecnológicas do país. Por isso, o curso de graduação prepara profissionais para atuar em áreas tradicionais como jornais e revistas impressas ou em plataformas digitais, assessorias de comunicação, agências de publicidade, ministérios, dentre outras áreas.

Durante 4 anos, o estudante é preparado para acompanhar as inovações tecnológicas, políticas e sociais, atuando de maneira crítica, humanística e em prol da informação.

Publicidade e Propaganda

O curso, com duração de 4 anos, estimula práticas criativas e inovadoras para a área de Publicidade de Propaganda, por meio de um corpo docente qualificado e uma estrutura que conta com laboratórios de rádio e TV, fotografia, informática, agências experimentais de comunicação, entre outras.

O profisisonal poderá atuar em agências de comunicação ou publicidade, startups, departamentos de marketing digital e de conteúdo, redes sociais e consultorias.

Veterinária

O médico veterinário pode atuar não apenas no cuidado com a saúde de animais domésticos e selvagens, como em áreas como agronegócio, defesa sanitária, centros de estudo de impactos ambientais, clínicas particulares, no cuidado de animais em extinção e, até mesmo, na indústria, desenvolvendo estratégias, cuidados, alimentos e medicamentos para milhares de espécies.

O curso de graduação da Unimonte, com duração de 5 anos, conta com um Centro Médico Veterinário e um Centro de Pesquisas e Triagem de Animais Selvagens (CEPTAS), voltados para as práticas estudantis.

Mesmo após fazer a escolha do curso de graduação que mais atende aos seus objetivos para o futuro, não deixe de escolher uma boa universidade para a sua formação. Analise a inserção dos seus estudantes no mercado de trabalho e toda a sua estrutura.

O importante é que ela atenda as suas necessidades, possua uma grade curricular completa e que, também, tenha aprovação do MEC, que, além de garantir a validação do diploma, analisa critérios fundamentais para o futuro profissional de qualquer estudante, como infraestrutura, corpo docente e a qualidade de ensino da instituição.

Essas são características essenciais para que você tenha uma excelente formação acadêmica e esteja preparado para os desafios de um mercado de trabalho cada vez mais competitivo e seletivo.

 

Ficou mais fácil dar o primeiro passo em direção a um futuro de sucesso? Assine a nossa newsletter e acompanhe todas as novidades sobre o curso de graduação do seu interesse!