Ao entrar em curso superior, nos deparamos o tempo todo com novidades: vivenciamos experiências inéditas, nos inserimos em uma rotina diferente e conhecemos muitas pessoas. Para aproveitar ao máximo a vida acadêmica, ter boa relação com quem você convierá durante seus anos na universidade e, futuramente, no mercado de trabalho é essencial: colegas, funcionários e professores da faculdade serão seus contatos no futuro.

Ter várias referências dentro da área de trabalho é um bom começo que pode vir a ser uma boa saída para momentos de aperto, como, por exemplo, o desemprego. Mas não adianta apenas ter contatos se não houver credibilidade com eles, por isso, é inegável a necessidade de construir boa relação com essas pessoas.

A interação entre professores e alunos pode e deve ser estabelecida da forma mais verdadeira e de cooperação mútua;  esse convívio amplia horizontes não somente com intenções profissionais futuras, mas também por aumentar a produtividade do aluno em aula. Mas como manter um bom relacionamento com eles?

Como convier bem com os professores?

Diferente do que muitos pensam, manter um bom relacionamento com os mestres não é “puxar o saco” com o intuito de buscar melhores notas. Geralmente, conseguimos perceber a diferença de abordagem de cada um.

Quando a aproximação é verdadeira com o interesse de garantir mais credibilidade nas dúvidas e nos posicionamentos, as conversas vêm de maneira natural. Mas podem haver situações que o aluno faz alguma pergunta sem relevância para o aprendizado, com a intenção de chamar atenção e se tornar conhecido de alguma forma.

Além de se exibir a qualquer custo, existem outras práticas que podem piorar a interação. Por isso, antes de saber o que fazer, preste atenção no que não fazer:

Não ser sincero

Não ser sincero é uma das piores atitudes para qualquer indivíduo em qualquer situação da vida, mas, no caso de manter um bom relacionamento com o professor, é ainda mais complicado.

Para que ambos alcancem seus objetivos — você, o de aprender e o professor, o de ensinar —, é preciso estabelecer uma relação transparente, em que cada um saiba suas responsabilidades e seus papeis.

Dar presentes exagerados

Tudo bem querer presentear seus mestres como um símbolo de apreço, mas não dê presentes extravagantes. Esta atitude pode passar a mensagem errada.

Pequenas lembranças e gestos de cuidado são bem-vindos, mas todo exagero é visto como algo negativo e forçado e a aproximação com seus professores deve ser algo natural e confortável para ambas as partes.

Se tornar o mascote

Não tente ser o “mascote” do professor, que faz de tudo para agradá-lo.Eles percebem facilmente quando o aluno tenta bajulá-los e agir de maneira diferente na tentativa de obter tratamento especial.

Somente faça favores e se ofereça para atividades quando isso realmente for do seu interesse para crescimento acadêmico e desenvolvimento profissional.

Mas e então, o que fazer?

Dizer seu nome

Logo no primeiro dia de aula, se apresente e pergunte sobre a matéria que ele irá lecionar. É um gesto simples, mas bom o suficiente para o início de uma interação. Não espere que apenas com a chamada você fique conhecido pelo professor.

Ter bom comportamento

Seja disciplinado e respeitoso! Dar bom dia, agradecer favores e pedir licença são gestos simples de convivência que jamais devem ficar de fora das atitudes para ter uma relação agradável na faculdade.

Ser interessado

É sempre positivo quando o aluno faz perguntas interessantes e que agreguem conhecimento a todos. O professor irá perceber tanto o seu interesse pelo conteúdo, quanto a sua participação na sua aula.

Caso você tenha vontade, se ofereça para fazer monitorias e para auxiliar as pesquisas. Estas oportunidades são muito valorizadas e são chances de aprender ainda mais, desenvolvendo trabalhos na área em conjunto com o mestre.

Manter a conversa extraclasse

Dê sua opinião sobre a aula e pergunte sobre os trabalhos de pesquisa científica que o professor desenvolve.

Esse diálogo sobre temas ligados aos estudos mostram a sua proximidade com a área no geral e também cria maior proximidade entre vocês. Aos poucos, o aluno vai tendo mais liberdade para perguntar e para conversar, o que é importante para manter a interação por muito tempo.

Tirar boas notas

Você não precisa ser o aluno perfeito para que o professor interaja com você, mas procure se esforçar para ter boas notas, já que, além de absorver mais conhecimento útil para o seu trabalho no futuro, o seu empenho chamará atenção do professor.

Alunos com dificuldade não devem se afastar com medo de serem julgados. Justamente o contrário deve ser feito: quando houver dúvidas e dificuldades, aproveite para aprender mais com o professor.

Não perder o contato

Todo o esforço ao longo do semestre não pode ser colocado por água a baixo. Por isso, mantenha contato com os seus professores.

Caso esteja participando de monitoria ou de atividades extraclasse, tente continuar desenvolvendo os projetos. Se não for possível dar prosseguimento com bolsas, lembre de pegar o e-mail do professor e faça contato para tirar dúvidas ou até compartilhar pesquisas.

E se a aproximação for complicada?

Mas nem sempre a aproximação é fácil. Muitos professores passam a imagem de ser rígidos e demasiadamente exigentes, o que pode inibir os alunos e dificultar o contato em sala de aula.

O ideal nessas ocasiões é se esforçar ao máximo para garantir notas boas manter uma postura normal durante as aulas. Quando nos mostramos psicologicamente afetados por uma pergunta direta ou deixamos de perguntar algo com medo de receber um questionamento difícil em troca, estamos perdendo a oportunidade de ganhar confiança.

Nos casos de orientadores que “temidos” pelos alunos, o relacionamento talvez seja mais distante, mas, ainda sim, é muito importante ser respeitoso e demonstrar interesse, para que isso em algum momento seja valorizado.

Os professores da faculdade são exemplos de conteúdo acadêmico e profissional, e uma boa relação com eles pode trazer vários benefícios para a sua trajetória. A troca de experiências entre mestre e alunos é um dos aspectos mais positivos da vida universitária.

Você tem alguma história sobre a aproximação com algum professor para contar? Ou tem alguma dica de como melhorar essa abordagem? Conte para a gente nos comentários!