A carreira de Comércio Exterior tem gerado dúvidas nos estudantes com relação à sua viabilidade, principalmente devido à situação político-econômica do Brasil e de outros países (como Estados Unidos, após entrada de Donald Trump no governo).

Descubra como este campo profissional funciona e entenda como ele pode ser uma opção promissora no país nos próximos anos.

A carreira do profissional formado em Comércio Exterior

Comércio Exterior relaciona-se com as operações de compra e venda de insumos, produtos e matéria-prima realizadas entre países.

De modo geral, a profissão é responsável por controlar os processos de importação (quando o Brasil compra de um país estrangeiro) e exportação (quando outro país compra de uma empresa ou órgão brasileiro) de produtos.

Para que essas transações sejam adequadamente realizadas, várias regras e leis devem ser respeitadas. Para isso, o profissional formado em Comércio Exterior deve ter profundo conhecimento dos procedimentos que deverão ser adotados.

O formato do curso

Quem pretende dar prosseguimento à carreira na área de Comércio Exterior pode optar pelo Bacharelado em Economia ou Administração e realizar uma Pós-Graduação direcionada ao Comércio Internacional.

Outra opção é realizar o curso superior tecnológico em Comércio Exterior, que foi regulamentado como profissão pelo Conselho Federal de Administração por meio da Resolução Normativa nº 374/ 2009.

As atuações na área de Comércio Exterior

O profissional formado no curso de Comércio Exterior pode trabalhar no comércio, em indústrias, em instituições financeiras, empresas de logística ou ocupar cargos públicos nas secretarias municipais e estaduais, ministérios e órgãos federais.

A área possui um amplo campo de atuação. Após formados, os profissionais podem trabalhar com:

  • análise: atuando como intermediários para fechamento de contratos de compra ou venda com empresas de outros países, conforme a legislação vigente;
  • agenciamento de carga: realizando a contratação de frete e seguro internacional, além de acompanhar o embarque e desembarque dos produtos;
  • consultoria: prestando auxílio a empresas de pequeno e médio porte, no que diz respeito às negociações internacionais;
  • cotação: realizando a cotação de moedas estrangeiras e de mercadorias;
  • gestão: desenvolvendo estudos para determinar os melhores mercados com os quais se deseja operar, elaborando metas e objetivos de exportação;
  • logística: determinando como serão transportados os produtos e analisando o custo efetivo e o tempo de entrega;
  • marketing internacional: fazendo a avaliação do mercado e adaptando as mercadorias conforme a cultura local para onde o produto brasileiro será enviado.

O futuro do Comércio Exterior no Brasil

Agora que você aprendeu que o profissional formado em Comércio Exterior é responsável pelo controle das transações comerciais entre países, deve estar se perguntando sobre o futuro da profissão no Brasil, que atravessa muitos problemas políticos e econômicos.

Fique tranquilo! Alguns fatores têm trazido muita esperança para as perspectivas na área. Veja.

A eleição de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos gerou receio nos profissionais da área. Para eles, a política protecionista do atual presidente estadunidense pode atingir o comércio brasileiro de forma negativa, caso haja redução do déficit comercial que os EUA possuem com a China.

Se isso ocorrer, a China passaria a comprar menos do Brasil, reduzindo o comércio e criando maiores barreiras de exportação e afetando, consequentemente, todos os profissionais envolvidos com o Comércio Exterior.

No entanto, segundo o relatório do Banco Mundial, há grandes sinais de recuperação econômica e aumento no volume de exportações de países da América Latina e Caribe, que devem apresentar um crescimento de 1,8% em 2017 (após retração de 1,1% no ano anterior).

Da mesma forma, projeções para a América do Sul indicam um aumento de 1,5% para o comércio.

O economista-chefe do Banco Mundial para a América Latina e o Caribe, Augusto de la Torre, acredita que a desaceleração econômica dessas regiões esteja decrescendo e que poderão ocorrer crescimentos positivos em 2017.

O cenário relativo ao comércio com outros países mostra-se igualmente otimista, como é o caso da Espanha. No primeiro semestre de 2017, a visita prevista do presidente espanhol, Mariano Rajoy, será uma boa oportunidade para fomentar as relações comerciais bilaterais com o Brasil, segundo Sérgio Rial, presidente da câmara de Comércio Espanhola no Brasil.

Rússia, nesse sentido, coloca-se como outro grande interessado em manter relações comerciais com o Brasil. O contato entre os governos (que ocorrerá em meados de 2017) pode reforçar a manutenção do fluxo de comércio de grãos, carnes e lácteos no Brasil.

Assim, alguns dados parecem ser positivos e indicam uma possível melhora do comércio no país. Da mesma forma, os profissionais do Comércio Exterior podem ser beneficiados com aumento por demanda funcional a partir deste ano.

A qualificação para se destacar na carreira

A profissão exige muitos conhecimentos em Direito e Legislação, Economia e Matemática.

Além disso, para que o profissional consiga compreender as documentações, contratos internacionais e negociar com compradores e fornecedores, ter fluência em outro idioma é crucial e obrigatório. Da mesma forma, é primordial que ele aprenda a lidar com números, contratos e negociações de compra e venda.

Todavia, muitos conhecimentos são obtidos somente com a experiência na carreira, pois diversos conceitos práticos devem ser absorvidos além da sala de aula.

Dessa maneira, para que o profissional se destaque no mercado de trabalho e garanta melhores qualificações, é importante a realização de estágios e trainee durante os estudos.

A qualificação adequada e o esforço pelo aprendizado na área, portanto, é o que garantirá maior sucesso na carreira.

O Agronegócio e o Comércio Exterior: campo de atuação em alta

O setor agrícola é uma das atuações que garantem possível crescimento para os próximos cinco anos, segundo o atual presidente Michel Temer. Para ele, o processo de desburocratização garantirá a retomada do crescimento econômico.

Assim, o agronegócio parece ser um campo de atuação viável para a área de Comércio Exterior.

Apesar das dificuldades pelas quais o Brasil e diversos outros países vêm passando, dados sugerem que o Comércio Exterior representa uma carreira promissora para os próximos anos. Mostramos a você como funciona a carreira e alguns dados otimistas sobre seu crescimento. Se está interessado pela profissão, não fique parado e comece a estudar agora mesmo!

Ficou interessado pela carreira de Comércio Exterior? Não deixe de entrar em contato conosco e saiba muito mais!