Aprender inglês se tornou uma condição essencial para o sucesso profissional. Além de ser um diferencial para o currículo, a fluência nesse idioma abre portas no mercado de trabalho. Mas a importância do inglês não se restringe apenas à vida profissional.

Dominar o idioma pode melhorar também a sua atuação durante a graduação e potencializar o seu conhecimento. E é sobre esse tema que falaremos no post de hoje. Confira!

O inglês na vida acadêmica

O inglês é uma das cinco línguas mais faladas do mundo e a mais importante para o mercado de trabalho, facilitando negociações, acordos e a comunicação em geral.

As empresas multinacionais preferem investir na contratação de pessoas que falem inglês com facilidade. Por isso, um candidato que domina esse idioma possui uma vantagem enorme em relação aos concorrentes.

Além do mercado de trabalho, o inglês é fundamental também para a vida acadêmica. Se antigamente a maior parte do conteúdo profissional era escrito em latim e francês, hoje essas línguas deram espaço para o idioma que está presente em cerca de 80% dos textos científicos e publicações de autores e pesquisadores.

No dia a dia na universidade, muitos desses materiais, artigos, vídeos e revistas acadêmicas são exigidos em avaliações, mas não possuem tradução para o português. Até mesmo as publicações de projetos de pesquisa, como o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), exigem tópicos escritos em inglês. O que pede pelo menos um domínio intermediário dos estudantes na língua.

Quem investe no aprendizado do idioma durante a graduação tem ainda a possibilidade de desfrutar de uma oportunidade oferecida pela maioria das universidades: o intercâmbio estudantil.

Essas instituições fecham parcerias com faculdades do mundo inteiro ou empresas privadas que oferecem oportunidades para os estudantes cursarem disciplinas da sua área e até mesmo estagiarem em multinacionais. E, em muitos casos, a única exigência é que esses estudantes se comuniquem, leiam e escrevam em inglês.

Como aprender inglês de forma mais rápida

Muitos universitários já sabem a importância do inglês para a vida acadêmica, mas se sentem desestimulados pela falta de tempo, condições financeiras de investir em um curso ou pelo mito de que é preciso ter alguma habilidade especial para aprender o idioma.

A verdade é que aprender inglês independe da inteligência, idade ou situação financeira. Exige apenas prática e dedicação. E com a ajuda da tecnologia, nem é preciso investir mais em uma escola de línguas.

Seguindo algumas estratégias básicas, é possível aproveitar os quatro anos da graduação para dominar o idioma e potencializar a sua capacidade de se tornar um profissional disputado no mercado. Ainda duvida? Então, confira 5 dicas para aprender inglês mais rápido!

1. Comece pelas expressões mais importantes

Você não precisa decorar todas as palavras em inglês para atingir a fluência. Nem mesmo um nativo do idioma possui um vocabulário completo. Sempre há algo novo para aprender, e você vai adquirir esse conhecimento com o tempo.

De acordo com a instituição Oxford English Corpus, das 100 palavras mais usadas na língua, a maioria é formada por artigos, preposições, conjunções, pronomes e verbos, como: in, for, on, at, the, to, of, and, or, a, that, our, your, he, she, you, it, she, her, us, be, take, get, could, say, go, make, give, see.

O segredo para aprender mais rápido é começar utilizando no seu dia a dia essa lista de palavras e frases em que elas se encaixam. Ao dominar essas expressões, você será capaz de ganhar mais vocabulário e passar para um próximo nível rumo à fluência.

2. Traga o inglês para o seu dia a dia

O aprendizado se torna mais simples quando é integrado a novos contextos. Por isso, o segredo para aprender inglês mais rápido é trazê-lo para o seu dia a dia, e não restringi-lo apenas à sala de aula.

Comece a pensar em frases e a formar diálogos no idioma, mude a linguagem das suas redes sociais e aparelhos eletrônicos, assista a filmes e seriados com áudio ou legendas, leia livros traduzidos e ouça músicas com letras em inglês.

Sempre que estudar o idioma, faça perguntas para um professor ou para um amigo fluente. Se você não tiver com quem praticar, consulte sites confiáveis e anote todas as palavras novas que ouvir para pesquisar o significado depois.

3. Comunique-se com nativos

Muitos professores atribuem a comunicação como o segredo da fluência de um idioma. Pessoas que deixam a vergonha de lado conseguem corrigir erros mais facilmente e treinar o que aprenderam na teoria. Basta pensar nas crianças. Primeiro elas aprendem a falar, e só depois a ler e escrever.

Imagine-se como uma criança, que está engatinhando no idioma, e comunique-se! Nativos são as pessoas mais indicadas nesse processo. Com eles é possível aprender a pronúncia das palavras mais corretamente.

Muitos sites e escolas de idiomas promovem essa aproximação, mas você pode usar a internet como aliada para se comunicar com pessoas de países como Estados Unidos, Inglaterra, Austrália e África do Sul, que possuem sotaques e gírias diferentes. Uma simples conversa com povos tão distintos pode enriquecer ainda mais o seu vocabulário.

4. Invista em um intercâmbio

Cursos em escolas de idiomas, trabalhos voluntários e até vagas profissionais no exterior são algumas das oportunidades oferecidas para pessoas que desejam se aprimorar em um idioma ou até mesmo começar do zero. Muitas delas gratuitamente.

Investir em um intercâmbio é uma oportunidade de imergir em um país onde as pessoas falam inglês o tempo todo, e não somente durante algumas horas, como acontece em um curso de línguas no Brasil.

Uma experiência internacional, mesmo que dure apenas um mês, colocará você em situações onde será obrigado a usar o inglês. E essa necessidade o moverá a aprender mais. Acredite!

5. Use a tecnologia como aliada

Para o brasileiro Rafael Lanzetti, que domina 11 idiomas, um dos segredos da fluência está em praticar pelos menos 15 minutos por dia. E a tecnologia é uma importante aliada para otimizar esse aprendizado.

O tempo que você perde em uma fila de banco, no caminho para a faculdade ou em um consultório médico pode ser usado para fazer um exercício em um aplicativo de ensino de idiomas, ouvir um podcast ou músicas no YouTube em inglês, assistir a um vídeo de um curso ou uma palestra no TED, e assim por diante. Utilize a tecnologia a seu favor.

E você, acredita na importância do inglês para a vida acadêmica? Gostou das dicas? Não deixe de compartilhar a sua opinião nos comentários!