Em um mercado de trabalho cada vez mais seletivo, até em função dos altos índices de desemprego entre os jovens, os universitários buscam os meios mais eficientes possíveis para destacar o seu currículo. Uma das experiências valiosas nesse sentido é o estágio no exterior.

A vivência em outro país agregada com um período de atuação profissional costuma fazer os olhos dos empregadores daqui brilharem. Trata-se de um tipo de vantagem competitiva difícil de ser superada por candidatos que não possuem tal oportunidade.

Logo, se você se interessou na possibilidade de estagiar fora do país, vai conferir, neste artigo, 7 dicas para se preparar e conseguir um estágio no exterior. Acompanhe a seguir!

1. Aprimore um segundo idioma

Se você pretende passar alguns meses ou anos em outro país, é básico buscar o aperfeiçoamento em, pelo menos, um segundo idioma. Naturalmente, o inglês é a opção mais procurada, até por ser mais universal e cobrir os principais destinos buscados para estágios.

No entanto, você pode reforçar sua prática em outros idiomas populares e importantes, como o espanhol, o francês e o alemão. De todo modo, a ideia é tentar alcançar um nível intermediário na segunda língua, não só para ter menos dificuldades de adaptação, mas porque também é uma exigência de diversos programas e projetos de intercâmbios universitários.

2. Procure o núcleo responsável da sua faculdade

Quando você começar suas buscas por uma oportunidade de estágio no exterior, é importante dar uma primeira passada na sua própria faculdade. Muitas universidades no Brasil possuem núcleos especializados e conveniados com instituições de ensino e empresas de outros países que cedem vagas para brasileiros.

Você deve conferir como é feito o processo seletivo em sua faculdade e as regras do programa, como se há alguma ajuda de custo por parte da instituição, o tempo de estágio, os países, as atribuições do cargo oferecido, etc.

3. Participe de programas do governo e projetos específicos

Caso sua faculdade não possua um núcleo voltado para estágios no exterior, você pode recorrer às bolsas que o governo oferece para estudantes brasileiros migrarem sua vida acadêmica para outros países.

O programa público brasileiro de intercâmbio estudantil mais conhecido é o Ciência sem Fronteiras. O projeto conta com a parceria de diversas universidades e institutos de pesquisa em países como Alemanha, Austrália, Estados Unidos, Irlanda, Holanda, Japão e muitos outros.

A grande vantagem do Ciência sem Fronteiras são as bolsas como ajuda de custo para os estudantes que não têm condições de se manterem em outra nação.

Além do programa federal, há a possibilidade de você procurar por oportunidades em instituições especializadas em intercâmbio acadêmico. Esses programas recrutam estudantes daqui que querem estudar e estagiar fora. Alguns exemplos desses projetos são:

4. Pesquise por pacotes em agências de intercâmbio

Após passar por sua própria universidade, programas do governo e instituições especializadas, você pode tentar a sorte com agências de intercâmbio. Empresas como a CI e a STB possuem pacotes com os destinos e bancos de dados para os candidatos se inscreverem. Essas informações são levadas das agências para as empresas parceiras que estão em busca de estagiários.

Após a aprovação do universitário, a agência cuida de todos os detalhes burocráticos para o candidato viajar tranquilo e com a vaga garantida, como a emissão de vistos, as passagens aéreas e outros detalhes.

5. Busque oportunidades em universidades estrangeiras

Caso nenhum intermediário consiga adiantar o seu lado, o jeito é ir na raça e pesquisar as opções por conta própria. Você pode fazer uma lista com as principais universidades de cada país e, após uma triagem, enviar e-mails solicitando uma oportunidade de estágio em laboratórios e programas dessas instituições.

É importante se apresentar no corpo do e-mail e redigi-lo todo no idioma nativo do país. Essa apresentação é como se fosse uma mescla do seu currículo com os motivos que levaram você a solicitar aquela oportunidade.

Lembre-se de que, mesmo você conseguindo a vaga por conta própria, pode buscar a ajuda de agências e instituições especializadas para cuidar das partes mais burocráticas e chatas.

6. Dê preferência aos destinos menos concorridos

Independentemente do meio que você escolher para conquistar um estágio no exterior, vai chegar o momento em que será necessário escolher o país de destino. Muitas vezes, os estudantes que planejam essa viagem há bastante tempo já têm em mente onde pretendem ir, mas essa não é uma escolha simples.

Ela deve envolver questões relevantes, como a adaptação a uma nova cultura, os custos de vivência e se há um mercado aquecido para a sua área de atuação. Além dessas, um dos critérios que muitos universitários ignoram é a concorrência por determinado país.

É comum que os estudantes vão atrás de lugares mais visados, como EUA, Austrália, Irlanda e Canadá. No entanto, você pode optar por para destinos menos concorridos e, assim, reduzir o tempo de resposta de aprovação e agilizar o processo de mudança. No próprio Ciência sem Fronteiras, há opções mais alternativas, como República Tcheca, Hungria e Coreia do Sul.

7. Prepare-se financeiramente

Almejar uma oportunidade de estágio em outros países é muito legal e enriquece demais sua carreira, mas é o tipo de investimento que deve ser preparado com uma boa antecedência. Viagens por exterior já costumam ser caras, mas quando é para lazer não costumam durar mais do que 7 dias, por exemplo.

Quando o foco é o estágio, o tempo mínimo de permanência é geralmente de 2 meses. E ainda pode ocorrer de a vaga não ser remunerada, o que encarece ainda mais a estadia por um longo período, ainda mais se o custo de vida do país for alto.

Pense nos gastos com as agências, taxas, alimentação, hospedagem, lazer e tudo que for necessário para ter uma boa experiência lá fora. Portanto, economize o máximo que puder e desde muito cedo.

A preparação para fazer um estágio no exterior deve estar em seus planos desde o início da vida universitária. Só assim você terá tempo suficiente para se aperfeiçoar em um novo idioma, escolher o destino certo, tentar uma vaga lá fora e juntar dinheiro para bancar a viagem e se manter em outro país. Não é tipo de decisão que se toma em um dia e se resolve no outro. Portanto, planeje-se o quanto puder para ter tudo muito bem arquitetado.

Se você pensa em fazer um estágio no exterior, que tal a ideia de construir sua vida profissional por lá mesmo? Parece interessante, não é mesmo? Então confira o nosso posto com 7 dicas para ser efetivado no estágio.