Você se sente um pouco estagnado em sua vida acadêmica e quer incrementá-la? Está ansioso para aplicar seus conhecimentos teóricos na prática? Então, as empresas juniores são uma ótima oportunidade para isso.

Elas são ambientes criados pelas universidades para que os alunos atuem nas suas profissões como uma empresa privada, conhecendo, assim, todos os desafios do mercado de trabalho.

Neste post, explicaremos como funciona uma empresa júnior e quais são as vantagens de participar de uma. Preparado?

O que são empresas juniores?

A empresa júnior tem o status jurídico de uma associação civil sem fins lucrativos. Por isso, ao contrário da maioria das empresas, os lucros não são divididos entre os membros e sócios, devendo ser investido integralmente na própria empresa.

Assim, elas não têm como objetivo principal o lucro; elas devem ser um espaço que incentiva o espírito empreendedor dos graduandos, sendo formada e gerida por eles, com a orientação de um grupo de professores e de funcionários.

A empresa deve familiarizar o estudante com a gestão de empresas no seu mercado de atuação, diminuindo a distância entre a academia e o mercado de trabalho. Nelas, além de estudar a teoria, você vai constantemente aplicá-la, pois é o conhecimento prático o objetivo desse tipo de agremiação.

As empresas juniores são espaços muito interessantes, pois, usualmente, têm uma gestão autônoma em relação à faculdade, podendo tomar as suas próprias decisões.

Outra habilidade trabalhada com o estudante é a gestão de projetos. Quando uma pessoa física ou jurídica contrata os serviços de uma empresa júnior, os estudantes que são membros dela são incentivados a elaborar um projeto desde o início, treinando, assim, diversas habilidades.

Depois, eles são desafiados a tirar as ideias do papel. Dessa forma, a empresa júnior se torna um espaço de rico aprendizado, uma vez que os estudantes encontram todos os entraves comuns a quem executa um projeto.

Como as condições são praticamente as mesmas do mercado, eles enfrentam problemas que são encontrados por qualquer gestor!

Quais são os principais clientes das empresas juniores?

Universitários

Por estarem inseridas no ambiente acadêmico, busca-se que elas tenham algum impacto na vida de todos os estudantes. Por isso, é necessário que haja o intercâmbio de conhecimento e de experiências entre os todos da instituição universitária. Assim, frequentemente, os participantes de uma empresa júnior são desafiados a darem palestras e a oferecerem dinâmicas para os demais colegas.

Outras vezes, os próprios alunos podem ser os clientes. Há diversas empresas juniores focadas na área de recursos humanos, que também oferecem seus serviços a outros universitários, principalmente, relacionadas ao desenvolvimento pessoal.

Empresas

Outro nicho bastante comum são as empresas, que, além de verem nas empresas juniores uma forma de criar profissionais mais competentes para o mercado, também se aproveitam dos preços mais acessíveis.

Elas sabem que terão trabalhos de alta qualidade, graças à orientação de professores que são referências no mercado, com um custo menor de investimento.

Universidades

As universidades se favorecem com o renome de suas empresas juniores, pois a qualidade dos serviços oferecidos por elas vai refletir na imagem da instituição.

Além disso, a EJ pode oferecer diversos serviços de consultoria para a própria universidade ou, até mesmo, trazer novas parcerias.

Como funcionam as empresas juniores?

Elas buscam simular o funcionamento de uma empresa qualquer. Por isso, são criadas da mesma maneira que qualquer pessoa jurídica de direito privado é constituída. Elas devem criar um Estatuto que propõe direitos e deveres de cada um de seus membros.

Esse estatuto, normalmente, é aprovado em uma assembleia de alunos, assim como, no mundo dos negócios, ele é aprovado por um conselho de diretores ou de sócios.

A hierarquia e a divisão de funções também é muito semelhante. Normalmente, um aluno é eleito presidente e outros são eleitos para as cadeiras de direção das empresas juniores. Há uma equipe de tesoureiros e outra para os recursos humanos.

Os membros mais antigos e experientes vão aumentando sua importância e comandam os mais recentes. Em uma empresa júnior consolidada, os participantes sabem quais são os critérios para a promoção e são incentivados a aumentar a sua responsabilidade.

Também, igualmente a uma empresa privada inserida no mercado, a EJ deve buscar os seus clientes. Durante o período universitário, ficamos acostumados que a própria faculdade nos ofereça tudo o que precisamos, mas, se uma empresa júnior quer realmente buscar reproduzir as condições reais, ela deverá encontrar seus próprios parceiros.

Assim, também são elaborados projetos de marketing e de divulgação e outras empresas — juniores ou não — podem ser contratadas para assessorar.

Quais são as vantagens de participar de uma empesa júnior?

Experiência real do mercado de trabalho

Não se trata de uma prática simulada, que, frequentemente, utiliza condições ideais como parâmetro. Você desenvolverá a habilidade de solucionar problemas inesperados, o que aumentará a sua capacidade de resposta quando estiver atuando no mercado.

Você também passará a ser referência para seus outros colegas de faculdade, o que poderá gerar diversas oportunidades em um futuro próximo.

Contato com estudantes e empresas

É uma excelente forma de você criar um networking logo na universidade. Você entrará em contato com diversos funcionários de empresas, que, impressionados com o seu desempenho, podem acabar garantindo a você uma colocação no mercado de trabalho após formado.

Também você constrói diversas relações de amizades com os membros de sua empresa júnior.

Participação de eventos

Há diversas mostras, encontros e congressos de empresas juniores pelo Brasil e pelo exterior. Você terá uma excelente oportunidade para viajar, para conhecer outras culturas empresariais e para trocar experiências.

Não vamos negar que também há festas nesses eventos e você poderá curtir bons momentos! Diversos contatos são feitos nesses ambientes, por isso, aproveite!

E, se tudo isso não tiver te convencido, se lembre que ter uma empresa júnior no currículo demonstra proatividade e interesse.

Portanto, é hora de romper a estagnação e buscar informações a respeito do processo seletivo da empresa júnior na sua faculdade! Se ainda não houver uma, tome a iniciativa de criá-la. Procure um grupo de amigos e de colegas, elaborem uma proposta e apresentem para um professor.

Tem alguma dúvida de como funciona uma empresa júnior ou quer compartilhar alguma experiência que teve? Solte o verbo nos comentários!