Quem está se preparando para prestar o vestibular, provavelmente tem em sua lista de faculdades, instituições de ensino públicas e privadas. Escolher entre elas pode ser difícil para alguns alunos. No entanto, apesar de as universidades públicas serem geralmente mais concorridas que as privadas, há muitas vantagens de se matricular em uma rede particular de ensino. Para conhecer melhor esses benefícios, confira estas informações:

1. Cursos com melhor infraestrutura

É inegável que as instituições particulares de ensino contam com infraestrutura que as públicas: ar condicionado, bibliotecas com livros atualizados, laboratórios, materiais de pesquisa, salas de estudo, banheiros e paredes limpos, entre outros. Esses são apenas alguns dos aspectos nos quais as particulares estão em vantagem em relação às instituições federais e estaduais.

Há muitas escolas públicas que não possuem nem mesmo papel higiênico em seus banheiros para alunos e funcionários. Devido a um sucateamento constante do ensino público, muitos laboratórios não possuem os materiais necessários para desenvolver pesquisas, computadores atualizados e condições ideais de trabalho e estudo. Como estudar assim?

Em geral, essas características de infraestrutura não são apenas um detalhe na formação do aluno. Elas realmente influenciam o processo de aprendizado, a condução de pesquisas empíricas e de campo, além de diminuírem custos cotidianos estudantis com livros e outros materiais que você não encontraria nas públicas.

2. Corpo docente mais atualizado e inserido no mercado

Há uma grande diferença entre o corpo docente de faculdades privadas e públicas. Em geral, o perfil dos professores da universidade pública costuma ser formado, em sua maioria, por docentes com vínculo de dedicação exclusiva. Isso significa que eles não podem exercer nenhuma atividade remunerada fora da universidade. Se dedicam completamente às pesquisas, aos grupos de estudo, projetos de extensão e a suas aulas na graduação e pós.

Em termos práticos, isso reduz muito os aportes mais mercadológicos em sala de aula. Esses profissionais passam muito tempo longe do dia a dia de suas áreas de especialidade. Nesse contexto, as aulas acabam ganhando uma carga excessivamente teórica, em vez de serem efetivamente voltadas para a prática profissional. Depois da graduação, isso pode ser um problema para muitos alunos, especialmente aqueles que não realizam estágios profissionais durante o curso. Por essa razão, alunos de faculdades privadas se formam com uma perspectiva mais completa sobre o mercado de trabalho e suas possibilidades profissionais.

3. Impossibilidade de greves na rede particular de ensino

A cada ano, sempre ouvimos notícias sobre paralizações nas redes públicas de ensino. Sejam greves de docentes, sejam de servidores técnicos administrativos, essa é uma realidade com a qual a maioria dos alunos de universidades públicas já está acostumado a lidar.

Além de interromper semestres inteiros de aula, esse tipo de paralização prejudica a regularidade das férias dos alunos, bem como a data esperada de formatura. As greves podem representar danos irreversíveis para muitos alunos. Já imaginou um aluno de Direito prestes a formar tendo sua graduação atrasada por tempo indeterminado? Ele corre o risco de ter que prestar novo exame da OAB, ou mesmo perder a data de posse em um concurso no qual eventualmente tenha sido aprovado.

4. Organização administrativa da rede particular de ensino

Universidades públicas apresentam as mesmas burocracias, ineficiências e problemas da realidade do serviço público no Brasil. Há um excesso de formalidade, processos em duplicidade e muita, mas muita lentidão.

Nas universidades privadas, ao contrário, a administração está à disposição do aluno para ajudá-lo a lidar com todo e qualquer problema que precisa ser resolvido. Certidões são emitidas mais rapidamente, sistemas de matrícula costumam ser automatizados, os funcionários são mais eficientes e o aluno tem a certeza de que sua principal preocupação é o estudo, e não questões administrativas.

5. Plano pedagógico uniforme e coerente

Instituições privadas de ensino possuem um plano pedagógico mais uniforme e coerente que as universidades públicas. Isso ocorre por vários motivos, mas principalmente pelo fato de que os professores são efetivamente obrigados a seguir o conteúdo programático de suas disciplinas. Pode parecer absurdo, mas isso não é um requerimento tão rígido na rede pública de ensino, onde docentes  sofrem menor controle didático e até mesmo de presença.

Na rede privada de ensino, pensam-se os cursos de graduação e de pós-graduação do começo ao fim, como caminhos a serem percorridos ao longo da jornada de estudos do aluno. O objetivo é o acúmulo gradual de saberes, de forma lógica, coerente e complementar.

6. Mais oportunidades de estágio e inserção no mercado de trabalho

Instituições privadas de ensino superior costumam firmar mais parcerias de inserção de seus discentes no mercado de trabalho. Isso ocorre porque elas encaram estágios profissionais como uma oportunidade de o aluno efetivamente complementar sua formação, inclusive creditando no currículo o tempo dedicado a essa atividade. Por isso é tão comum encontrar mais anúncios de vagas de estágio, programas de trainee e oportunidades de trabalho de campo junto às privadas.

Nas universidades públicas, o foco acaba sendo maior para a carreira acadêmica. É verdade que muitas instituições públicas são tradicionalmente voltadas para a pesquisa, iniciação científica, grupos de estudo e projetos de extensão. No entanto, por mais que sejam necessários mestres e doutores bem qualificados, o mercado também precisa de profissionais empreendedores e com experiência prática!

7. Segurança no dia a dia de estudos

Muitas universidades públicas não contam com padrões mínimos de segurança em suas dependências. Por isso que pichações, vândalos, furtos e roubos são situações comuns nesse tipo de ambiente. Como aluno, você acaba se acostumando a esse ambiente inóspito. Deixa de levar seu computador para a faculdade com medo de assaltos, passa a estudar em outros lugares e não se sente seguro em um ambiente que deveria ser dedicado somente aos estudos.

Nas particulares, a situação é bastante diferente: há controle de entrada e saída de alunos e visitantes, todos são identificados e há maior segurança nas salas de aula, biblioteca e laboratórios. O objetivo é fazer com que o aluno somente se preocupe com o que realmente importa: as atividades acadêmicas.

Agora que você já sabe todas as vantagens de estudar na rede particular de ensino, que tal entrar em contato com a Unimonte? Conheça nossa rede de faculdades, docentes e projetos institucionais! Escreva-nos com dúvidas e participe de nosso processo seletivo!